segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Aulas de Língua portuguesa/Interpretação de textos e Redação - Para executivos, profissionais liberais, secretárias, jornalista e outros profissionais. - Em Uberlândia



  • Para profissionais liberais - advogados, médicos, dentistas, engenheiros, economistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos;


  • Para executivos - diretores, dirigentes, gerentes, secretárias, empresários, políticos;


  • Para profissionais de comunicação - jornalistas, publicitários, radialistas e professores.


  •  Para pessoas que querem apenas escrever e se expressar melhor; 

 Os programas  e número de aulas serão organizados de acordo com as necessidades dos participantes.

Contato: (34) 9 9149 2401   (Whatsap)

Quem ministra

Fátima Oliveira

Mestre em educação. Especialista em literatura, retórica, argumentação e PNL. Graduada em Letras, Pedagogia e Normal superior. Professora de redação em cursinhos pré vestibulares em cidades como São Paulo e Rio de janeiro. Fundadora e idealizadora da Escola Palavra Perfeita. Ministra treinamentos em empresas como Vale card, Bradesco, Unimed, Grupo Zaffari e outros.


sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Quais são as diferenças de uso entre as expressões: malcriado X mal criado?


Olá, tudo bem com você?
Tenho presenciado, muitas vezes, a confusão de alunos sobre os termos  Malcriado/Mal criado. Você conhece essas expressões?
Saiba que mal criado e malcriado existem. São utilizadas em circunstâncias diferentes. E podem sim, cair nas provas de língua portuguesa em concursos públicos e vestibulares. 
Fique atento e aprenda a usá-las!

Malcriado

É um adjetivo usado para caracterizar alguém que tem má educação, é grosseiro ou desrespeitoso.
Preste atenção aos exemplos:
1. Aquele homem foi muito malcriado ao responder sua esposa
2. Pessoas malcriadas são um grande problema para as famílias.

Mal criado

Trata-se de um advérbio - MAL - seguido do particípio do verbo CRIAR. Refere-se ao tipo de educação que alguém recebeu ou está recebendo.
1. Algumas crianças são muito mal criadas pelos pais.
2. O problemas desses jovens é terem sido mal criados, isso explica o comportamento deles.

Espero ter ajudado você. 

Um abraço!😏😚
Precisando de ajuda envie um whatsap: (34) 99149 2401
Fátima Oliveira
Mestre em educação. Especialista em literatura, retórica, argumentação e PNL. Graduada em Letras, Pedagogia e Normal superior. Professora de redação em cursinhos pré vestibulares em cidades como São Paulo e Rio de janeiro. Fundadora e idealizadora da Escola Palavra Perfeita.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Técnicas para fazer bons resumos




Técnicas de resumo


Resumir


“Resumir um texto significa criar um novo texto, mais sucinto, que do primeiro só utiliza as informações mais importantes.”

Maria Teresa Serafini

 “O resumo não é uma análise crítica nem um comentário do texto, mas também não é uma redução mecânica proporcional. Nele o estudante tenta estabelecer o difícil equilíbrio entre a fidelidade absoluta à sua fonte e determinada autonomia pessoal que escolhe e distingue entre o que é importante e o que é secundário.” 

Adelino Torres


Resumir um texto é condensar as ideias principais, respeitando o sentido, a estrutura e o tipo de enunciação, isto é, os tempos e as pessoas, com a ajuda do vocabulário e do estilo pessoais.



O trabalho de análise do texto


Ler o texto

  • Sublinhar as palavras-chave para identificar a rede semântica (significado das palavras ou/e interpretação de frases);
  • Identificar os articuladores do discurso e as relações que estabelecem entre si;
  • Identificar as ideias essenciais (as partes que constituem um texto); colocar alíneas na margem e atribuir-lhe um título (de preferência nominal). 


O trabalho de organização

  • Distinguir o essencial do acessório;
  •  Organizar a sequência estrutural de um texto.


O trabalho de redação

  • Respeitar a ordem por que o autor apresenta as ideias; 
  • Evitar qualquer opinião pessoal ou comentário. O resumo deve ser impessoal; 
  • Respeitar a extensão do resumo, se não forem indicadas as palavras ou as linhas do resumo, este deverá ser um quarto do original 
  • Não usar expressões ou frases inteiras (citações) do texto base. Pode-se usar a rede semântica identificada, colocando aspas; 
  • Não utilizar o diálogo.


Regras


de repetições, de fórmulas, interjeições; de exemplos, citações.

Generalização: substituir alguns elementos, como palavras ou ideias, por outros mais gerais;

Seleção: distinguir bem o essencial do acessório, suprimindo os elementos que exprimam pormenores.

Construção: manter tempos pessoas, respeitar a ordem do texto, fazer tantos parágrafos quantas as partes que contiver o plano - as alíneas, as ideias-chave, conservar a estrutura do texto de partida, ligar logicamente as frases redigidas.


Técnicas

  • Substituir um grupo de palavras por uma única palavra;
  • Substituir um grupo de palavras por um nome;
  • Substituir um grupo de palavras por um adjetivo;
  • Substituir por verbo, advérbio, etc..  
  • Substituir uma enumeração por ou vários termos englobantes;


 Saber utilizar sinônimos

  • Manter o sistema de enunciação (utilizar o mesmo sistema pronominal – manter os mesmos pronomes pessoais;
  • Estabelecer as redes lexicais. 


Diferenças entre esquema e resumo

Como os esquemas são muito sintéticos, há quem defenda que o resumo é mais aconselhável. Porém, deve-se notar suas ligeiras diferenças, e que nem sempre cumprem funções idênticas.


As diferenças essenciais são:

  • O esquema é muito mais visual;
  • O resumo é sempre discursivo.
  • O esquema é um esqueleto do texto;
  • O resumo é uma condensação do texto. 


Em busca de sentido


Resumir um texto nem sempre é uma tarefa fácil. Quando o fazemos, temos de partir do princípio que encontramos sentido nesse texto. Caso contrário, nunca faremos um resumo de qualidade.


Como encontrar esse sentido no texto?


Leitores diferentes encontrem sentidos diferentes?


Explica-se a multiplicidade de leituras do mesmo texto ao considerar que o sentido resulta do texto e do contexto cultural daquele que lê. Dessa maneira, conhecimentos gerais diferentes, opções filosóficas ou religiosas diferentes provocarão leituras diferentes.
De uma forma muito sintética, podemos dizer que há dois aspectos importantes na elaboração do resumo: compreender o texto e reelaborar o texto construindo o resumo.


Na elaboração de um resumo, há passos elementares, e

podem ajudar muito.


Veja:

1.   Em primeiro lugar, leia com atenção e calma, todo o texto, procurando compreendê-lo na sua globalidade.

2.   Após esta primeira leitura formule perguntas:

Quem diz?
O que diz, ou o que defende?
Quantas partes tem o texto?
  Do que trata cada parte do texto?
  Qual é a opinião do autor do texto?


A leitura 



Leitura na diagonal


  • É um tipo de leitura rápida, em que o objetivo é procurar uma informação específica ou identificar as ideias principais de um texto, o que permite organizar melhor seu estudo. 
  • Ler na diagonal é o mesmo que passar rapidamente os olhos pelo texto, para ter uma ideia geral da informação que ele contém. E em seguida ler atentamente em busca de informações importantes sublinhando-as e fazendo anotações. 
  • Escreva definições de conceitos que consideras essenciais para a compreensão do texto.
  • Escreva perguntas e respostas importantes, para te facilitar a aquisição dos conhecimentos. 
  • Anote todas as dúvidas e tente esclarecê-las. 
  • Não passe de uma parte do texto para a outra sem que a primeira tenha sido bem compreendida. 
  • Não perca de vista o fio condutor do texto, pois isso o ajudará a identificar as ideias principais, organizá-las e relacioná-las com as anteriores; 
  • Não decore o texto, compreenda-o, essa tática o ajudará a reter as informações, compreender melhor o texto o que facilitará a elaboração do resumo. 
  • Resumir e escrever, com suas palavras, de forma sintética e com sentido, as partes essenciais de um determinado texto. 


Leitura crítica


É um tipo de leitura mais pormenorizado, em que se procura distinguir e relacionar ideias e conceitos.
Leitura estética ou de prazer: Faz-­se por entretenimento ou simplesmente para apreciar o estilo e talento de um autor.

As estratégias mais importantes que nos ajudam a compreender e a reter o que estudamos passam por: ·


Leitura eficaz


saber identificar as ideias principais, organizá-las e relacioná-las com as anteriores;
Fazer anotações na margem do texto;

  • clarificar;
  • sublinhar;
  • parafrasear;
  • resumir.

A leitura eficaz é a que pode ser transformada em aprendizagem.


Vantagens de aprender a resumir textos

  • Facilita a aprendizagem;
  • Melhora sua capacidade de expressão oral e escrita;
  • Ajuda na organização dos estudos;
  • Permite mais memorização e assimilação das matérias;
  • É uma forma de selecionar informações importantes;
  • Aumenta a capacidade de concentração;
  • Facilita a organização de conhecimentos;
  • Permite revisar matérias com mais facilidade;
  • Desenvolve a importante técnica de sublinhas partes importantes; 


O resumo deve ser um texto curto e objetivo. As ideias mais importantes colocadas pelo autor devem ser escritas com suas palavras.
Deve estabelecer uma sequência clara das ideias.
Anote os números de capítulos e páginas na margem dos resumos para voltar rapidamente a essa informação, no caso de alguma dúvida.
Escreva a definição de palavras novas sempre que estas apareçam.

Releia o resumo ao terminá-lo, para verificar se está 

compreensível.


Atenção


Os resumos devem ser compreensíveis a uma releitura, mesmo passado bastante tempo.

Dica

Para resumir qualquer texto, é fundamental que, antes de fazê-lo, observe a diferença entre uma informação central e os detalhes referentes a ela. Para tanto, você deverá partir de um fato central, ao qual acrescentará informações adicionais.



Veja um exemplo


Observe o seguinte fato:


Os amigos de Maria fizeram uma grande festa. Aqui existe uma referência a um fato específico: uma festa realizada pelos amigos de Maria.

Veja agora como é possível aumentar uma frase com dados 

adicionais:



Os amigos de Maria, funcionária de uma importante firma, fizeram uma grande festa. Ela aconteceu na sala do chefe, logo após ter terminado o horário de trabalho.

Muitas outras referências poderiam ser acrescentadas, 

como:

  • tempo: durante a tarde de ontem;
  • causa: em comemoração a seu aniversário;
  • frequência: como acontece todos os anos.


Assim, então, ficaria o parágrafo: Como acontece todos os anos, os amigos de Maria, funcionária de uma importante empresa, fizeram, na sala do gerente de vendas, uma grande festa na tarde de ontem, em comemoração ao seu aniversário.


Para resumir esse parágrafo, basta excluir as informações adicionais que podem ser dadas acerca do fato e deixar apenas os elementos essenciais, para transmitir a informação central.

Entende-se por informações adicionais referências ao tempo, ao lugar, à frequência com que o fato ocorre, às características das pessoas envolvidas, à causa do fato, a instrumentos utilizados para sua realização, etc. 


O importante é eliminar detalhes de menor significação e que não farão diferença na compreensão dos fatos.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

CURSO de Língua portuguesa, Interpretação de textos e Redação dissertativa argumentativa - preparatório para o CONCURSO PM MG -POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS Seja um Soldado da PM/ MG! Em Uberlândia





As inscrições vão até 04/01/2018  e a prova acontecerá no dia 04/02/2018


A oferta é de 120 vagas:
108 para candidatos do sexo masculino
12 para candidatas do sexo feminino


Se aprovado, o candidato integrará o Curso de Formação de Oficiais e passará a receber remuneração inicial de R$ 5,7 mil.


Veja os requisitos necessários para concorrer a uma dessas oportunidades:

  • Graduação em Direito;
  • idade mínima de 18 e máxima de 30 anos até a data de início do curso (previsto para 02/07/18).;
  • A altura mínima de1,60m.

Além disso, é necessário que você esteja preparado para a prova. É do conhecimento de todos, que as provas de Redação, Interpretação de textos e Língua portuguesa são as que, geralmente determinam a aprovação.

Dessa maneira, preparamos um curso de Redação, Interpretação de textos e Língua portuguesa especialmente para cumprir as exigências dessa banca.


Programa:

O que você vai aprender ?

  1. O que é um texto dissertativo?
  2. A estrutura da dissertação e sua importância para quem escreve e para quem lê;
  3. O parágrafo de introdução –  o que escrever nele?
  4. 5 maneiras de iniciar uma dissertação
  5. O que é uma TESE e como cria-la.
  6. O parágrafo de desenvolvimento – o que escrever nele?
  7. O que é um argumento? Como fazer para prova-lo?
  8. O parágrafo de conclusão – 2 maneiras certas para escrevê-lo.
  9. O título – como escrever títulos criativos?
  10. Como ler, interpretar e usar os textos de apoio?
  11. O que fazer para não fugir do tema?
  12. Entenda o que são critérios de correção e como usá-los a seu favor;
  13. Gramática prática aplicada ao texto;
  14. Sinais de pontuação;
  15. Trabalhando com modelos;
  16. Aprenda a fazer da redação a sua aliada para sair na frente dos seus concorrentes.
  17. Técnicas de concentração. 

A INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS Em CONCURSOS PÚBLICOS

  • POR QUE ESTUDAR INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS?
  • É POSSÍVEL APRENDER INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS?
  • POSTURA INTERPRETATIVA
  • CONCEITO DE INTERPRETAÇÃO
  • OBJETO DA INTERPRETAÇÃO
  • LEITURA PASSIVA X LEITURA ATIVA ........
  • TIPOS DE TEXTO
  • OS DIFERENTES OBJETIVOS DE UM TEXTO
  • FUNÇÕES DA LINGUAGEM
  • TIPOS DE DISCURSO
  •  NARRAÇÃO
  • ARGUMENTAÇÃO
  • RELATO
  •  EXPOSIÇÃO
  • INSTRUÇÃO
  • INSTRUMENTOS DE INTERPRETAÇÃO
  • CONTEXTO
  • CONCEITO
  • INTERTEXTUALIDADE
  • OBSERVAÇÃO
  • ANÁLISE
  • COMPARAÇÃO 
  • INDUÇÃO E DEDUÇÃO
  •  EXPLICAÇÃO,
  • DEMONSTRAÇÃO OU JUSTIFICAÇÃO
  • FIGURAS DE LINGUAGEM
  • DICAS FINAIS DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS
  • ADMINISTRE O TEMPO
  •  SUBLINHE AS IDEIAS MAIS IMPORTANTES 
  • INTERPRETAÇÃO  DE QUESTÕES
  • COMO IDENTIFICAR AS FALSAS QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO?
  • TODOS OS EXERCÍCIOS SERÃO RESOLVIDOS E COMENTADOS EM AULA


Duração do curso

  • 4 meses = 48 horas aulas divididas em 12 encontros de 3 horas cada.
  • Apenas 6 alunos por turma
  • Correção individual
  • Material didático incluso

                   Turmas:
      Turno
              Dia da semana
                   Horário
          Manhã
             Terças e quintas
               9:00 as 11:00hs
       Tarde
             Segundas, terças e quintas
               4:00 as 17:00hs
     Noite
             Terças e quintas
              1900 as 22:00hs

Contato: (34) 99149 2401 (whatsap)

Quem ministra:


Fátima Oliveira

 Mestre em educação. Especialista em literatura, retórica, argumentação e PNL. Graduada  em Letras, Pedagogia e Normal superior. Professora de redação em cursinhos pré vestibulares em cidades como São Paulo e Rio de janeiro. Fundadora e idealizadora da Escola Palavra Perfeita.







segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

O que é coerência textual e como escrever um texto coerente - em provas de concursos e vestibulares

 

A coerência é  sinônimo de lógica, de harmonia. Um texto é coerente quando as idéias expostas estão amarradas de tal maneira que sua conexão fica
clara para o leitor.

1) Unidade semântica


Um texto deve tratar, do início ao fim, de um só tema e uma TESE relacionada a ele. Isso é chamado de unidade semântica.

Por exemplo, se o seu texto defende a TESE: quais são as causas da violência nas grandes cidades brasileiras? E nos parágrafos de desenvolvimento você defende outra TESE, como por exemplo a falta de policiamento nos bairros acontece aqui uma quebra da unidade semântica e o texto perde o sentido, portanto a coerência.


2) Progressão textual


Não é à toa que se bate tanto na tecla sobre a importância da estrutura de um texto, pois é ela o que garante a progressão textual. Veja como se compõe a estrutura interna de um texto bem escrito:


Introdução = Exposição do tema + TESE


Expor o tema é apresentar o assunto pedido na proposta. Clique aqui e conheça formas de expor o tema com segurança.

A TESE será criada a partir dessa exposição, entende? Ela será favorável ou contrária ao que você escreveu para introduzir o TEMA.

 

Veja um exemplo:




Os parágrafos de desenvolvimento devem trazer um argumento que defenda a TESE escolhida na introdução e estratégias argumentativas que deem credibilidade a ele.


Veja o exemplo:




3) Não contradição entre as partes


Um texto coerente apresenta partes que complementam o sentido umas das outras.

Veja o parágrafo de conclusão. Ele põe fim à discussão provocada pela TESE e retoma o TEMA mostrando que o escritor não os perdeu de vista.




Em Platão e Fiorin, (1996, p. 397) encontramos diferentes níveis de coerência:


a)   Coerência narrativa


quando as implicações lógicas entre as partes da narrativa são respeitadas. Numa narrativa, as ações acontecem num tempo sucessivo, de forma que o que é posterior depende do que é anterior.



b)   Coerência argumentativa


diz respeito às relações de implicação ou de adequação que se estabelecem entre pressupostos ou afirmações explícitas no texto e as conclusões decorrentes destes.

Alguns raciocínios lógicos se prestam como exemplos de incoerência argumentativa, tais como: Toda cidade tem pobres. João Pessoa tem pobres. Logo, João Pessoa é uma cidade.
Existe nesta afirmação uma inadequação, entre as “premissas” e a conclusão, pois pode haver pobres em lugares que não são cidades ou vice-versa.



c)    Coerência figurativa


quando há uma compatibilidade entre temas e figuras ou de figuras entre si.

As figuras se encadeiam num percurso, para manifestar um determinado tema, por isso, têm que ser compatíveis umas com as outras, senão o leitor não percebe o tema que se deseja veicular.



d)   Coerência espacial


diz respeito à compatibilidade entre os enunciados do ponto de vista de localização no espaço.



e)   Coerência temporal

é a que respeita as leis da sucessividade dos eventos ou apresenta uma compatibilidade entre os enunciados do texto, do ponto de vista da localização no tempo.
As ações temporais devem ser sequenciadas numa temporalidade compatível, de modo que seja possível ao leitor acompanhar essa sequência temporal. Caso contrário, efetiva-se uma subversão na sucessividade dos eventos, ocasionando a incoerência.

Parece estranho dizer, por exemplo: “Acordei cedo, hoje, às dez horas. Fui ao trabalho, vesti a roupa, tomei banho e fui caminhar, depois do almoço.”
Há uma incompatibilidade na sucessividade das ações, de forma que facilmente se percebe a incongruência dos fatos.



f)      Coerência no nível da linguagem


é a compatibilidade do ponto de vista da variante linguística escolhida, em nível do léxico e da organização sintática utilizada no texto. Incoerente, pois, usar expressões chulas ou de linguagem informal num texto caracterizado pela norma culta formal.

A não ser em textos, cujo gênero seja permitido tal uso.

Na linguagem oral, essa incompatibilidade é corrigida, muitas vezes, por meio de ressalvas do tipo: “com o perdão da palavra” ou “se me permite 
.


Exercício:

Leia o texto abaixo, se houver incoerências nele, aponte-as: 

João Carlos vivia em uma pequena casa construída no alto de uma colina árida, cuja frente dava para o Leste. Desde o pé da colina se espalhava em todas as direções, até o horizonte, uma planície coberta de areia. Na noite em que completava 30 anos, João, sentado nos degraus da escada à frente de sua casa, olhava o sol poente. E observava como a sua sombra ia diminuindo no caminho coberto de grama. De repente, viu um cavalo que descia para a sua casa. As árvores e a folhagem não lhe permitiam ver distintamente; entretanto observou que o cavalo era manco. Ao olhar mais de perto verificou que o visitante era seu filho Guilherme, que havia 20 anos partira para alistar-se no exército, e, em todo esse tempo, não tinha dado sinal de vida. Guilherme, ao ver o pai, desmontou imediatamente, correu até ele, lançando-se nos seus braços e começando a chorar. 

(In Koch, Ingedore & Travaglia, Luiz Carlos. A coerência textual. São Paulo: Contexto, 1990). 

Para receber a resposta envie um whatsap para o número abaixo com as palavra: resposta coerência.


Contato: (34) 9 9149 2401 (Whatsap)


Redação empresarial moderna - Como escrever um Ofício





A carta assume funções e nomenclaturas diferenciadas: ofício para comunicações externas e memorando (MEMO ou CI) para comunicações internas.

Ofícios de solicitação e requerimento.


Esse tipo de carta inclui toda espécie de documentos ligados a transações comerciais, industriais, financeiras e profissionais.

O ofício serve para informar, solicitar, requerer, encaminhar, convidar.

Diferentemente da carta social, o ofício será lido por pessoas da sua relação profissional, muitas vezes seus superiores hierárquicos. Portanto, deve ser escrito em linguagem formal, distante, que transmita de forma clara, direta e precisa a mensagem pretendida.

Não se trata de escrever muito ou pouco, mas, tão somente, de apresentar as informações necessárias

A forma de tratamento deve ser adequada ao cargo que ocupa o destinatário, usando-se os pronomes de acordo com as normas recomendadas e abreviando-os (Ilmo. Sr., V. Sa. V. Exa.).

Como tudo que é excessivo, uma linguagem muito rebuscada cheia de floreios e sentimentalismos, caiu em desuso. Então, atenção especial para os fechos que, em cartas, geralmente demonstram cortesia. Frequentemente, são utilizadas expressões, como: Atenciosamente, Respeitosamente, Cordialmente.

Fechos do tipo:

  • Sendo o que se apresenta para o momento;
  • No aguardo de suas breves notícias;
  • Aqui vai o meu cordial e atencioso abraço;
  • Aguardando com interesse, renovo meus protestos de estima e consideração, são altamente inadequados.


Quanto à assinatura, ela vem logo após o fecho, colocando-se sob o nome de quem assina a função ou cargo que ocupa. Dispensa-se o traço para a assinatura.

Veja um exemplo:


Contato: (34) 99149 2401

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Você ja pensou na alegri indiscutível de escrever o melhor TCC da sua turma? {Escrita Acadêmica} Construção do TEXTO CIENTÍFICO – trabalhos de TCC, Mestrado e Doutorado




O que é esse curso?

Pensado para partilha de técnicas e ferramentas essenciais para a construção de textos acadêmicos bem estruturados.  

O que ele pretende?

Tem uma tese de mestrado mal resolvida? Terminou o levantamento de dados, mas não sabe por onde começar escrever o artigo científico?

Relacionar a teoria com os dados obtidos na Pesquisa de campo parece-lhe uma tarefa por demais complexa?
Então, este é o curso para você! Ao longo das aulas partilharemos técnicas e ferramentas eficazes para estruturar e escrever um texto científico. Nosso objetivo estratégico é oferecer ferramentas que lhe permitam construir e desenvolver excelentes textos.

Para isso você conhecerá tudo sobre:

  • Gêneros acadêmicos;
  • Elementos do texto acadêmico;
  • Construção de sentido;
  • Estilo;
  • A argumentação no texto acadêmico;
  • Citação;
  • Referenciação;
  • Ética;
  • Formatação;
  • Questões linguísticas aplicadas ao texto.

Os módulos oferecidos são

O resumo
O artigo
A resenha
O fichamento
O relato de experiência
O Projeto de pesquisa
TCC, Monografia, Dissertação e Tese
·
Para quem é esse curso?

Acadêmicos em geral, pessoas que necessitam entregar e defender uma tese (de qualquer disciplina) ou escrever trabalhos acadêmicos  e não sabem por onde começar.

Duração desse curso:
24 horas aula – 8 encontros de 3 horas cada.

Atenção! Emitimos certificado de participação!

Turmas de no máximo 10 alunos

Para saber mais ligue
(34) 9 9149 2401

Nosso endereço Avenida João Pinheiro, 1073 – Centro – Uberlândia/MG
Visite e curta a nossa página Facebook Palavra Perfeita