segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Crianças gostam de poesia


Os pais lêem poesias para os filhos? Como essa linguagem pode contribuir no desenvolvimento da sensibilidade da criança. Dicas de autores e obras.
A poesia para crianças é o brincar que elas tanto gostam, só que com as palavras. Palavras que, combinadas, inventam novos sentidos e constroem sons, ritmos e imagens diferentes. A criança está sempre em busca de experiências e a poesia é uma forma nova de descobrir a vida, explorando o mundo fascinante dos sons e das idéias.
Para Ana Lúcia Brandão, escritora, doutora em Comunicação e especialista em Literatura Infantil, a criança inicia sua vida ouvindo cantigas de ninar. Depois passa a falar parlendas, como, por exemplo, "um, dois, feijão com arroz" e trava-línguas, como "o rato roeu a roupa do rei de Roma". Mais tarde, vêm as cantigas de roda. Os poemas são uma extensão de todas essas brincadeiras infantis.
Poesia e universo infantil têm muitos pontos em comum, especialmente a grande carga afetiva, as imagens, a fantasia e a sensibilidade. A linguagem poética faz parte naturalmente da linguagem da criança que se comunica com o mundo de maneira informal e lúdica. "A leitura de poemas tem um poder encantatório, acalma e desperta a sensibilidade dos pequenos. Eu já fiz crianças dormirem por meio de poemas. Ler poemas em voz alta por várias vezes acaba virando música", diz Sylvia Manzano, escritora de livros infantis.
Ritmo, som, melodia, idéias...
Em geral, ler livros de poesia não faz parte do cotidiano do adulto. Porém, no contato com crianças, essa pode ser uma ótima oportunidade para embarcar na experiência do ritmo, do som, da melodia e das idéias, tão inerentes aos poemas.
Nas prateleiras de livros infantis existe uma infinidade de títulos que têm excelente qualidade literária. Um livro que está se tornando um clássico é o Poesia para Brincar, de José Paulo Paes, da editora Ática. O autor inicia o livro convidando o leitor a brincar com poemas cheios de rimas e humor como: "Aqui jaz um leão/Chamado Augusto/Deu um urro tão forte que morreu de susto".
Para Sylvia Manzano, escrever poesia para crianças ou adultos é dizer tudo de uma maneira diferente, fazendo com que o falar de cada dia seja inovador. Em seu livro Circo do Meio Dia, da editora Dimensão, os poemas descrevem de maneira divertida as brincadeiras e sentimentos dos bichos que trabalham no circo: "Neste circo/o macaco/mostra a língua/faz careta/toma suco/engole a bala/e por arte do destino/só por pouco/ele não fala."
Sensibilidade e alfabetização
A linguagem da poesia trabalha a sensibilidade da criança, desenvolvendo sua relação com a leitura e a escrita. Para Carla Caruso, autora da Coleção Bicho-de-Livro, da Editora Dimensão, é importante ler poemas de maneira a revelar o ritmo e os sons das palavras. Segundo ela, essa também é uma forma de auxiliar as crianças no desenvolvimento da fala e já preparar os pequenos para a alfabetização.
Isso porque a relação com as palavras, se iniciada desde cedo, torna o processo de leitura algo já conhecido pelas crianças e insere o pequeno leitor no fascinante mundo da literatura. "O poeta e a criança encontram-se através da poesia. Sela-se uma relação entre a linguagem infantil e a linguagem poética. Criança gosta de poesia, mas precisam do incentivo dos pais, irmãos mais velhos e dos educadores", assinala Carla Caruso.
fonte:http://www.alobebe.com.br

Um comentário: