quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Tudo o que você precisa saber sobre o uso da VÍRGULA



                          www.facebook.com/palavraperfeita


Primeiramente, é preciso esclarecer umas coisas:

·        A ordem direta dos termos de uma oração é:

SUJEITO + VERBO + COMPLEMENTO + ADJUNTO ADVERBIAL 

·        Nessa ordem, não usamos vírgula para separar esses termos, ou seja, não separamos o sujeito do verbo, nem o verbo do seu complemento, nem um adjunto adverbial no final de uma frase.

·        O adjunto adverbial pode se deslocar na frase, podendo aparecer também no início e no meio da oração. Quando esse deslocamento ocorre, a vírgula pode ou não ser usada. Veremos isso a seguir.

·        E quando uma expressão de valor meramente explicativo aparecer numa frase e apresentar certa pausa durante a pronúncia, essa expressão deverá ser isolada por vírgulas.

A vírgula deve ser usada para:

Separar um aposto explicativo

O que é um aposto explicativo? Aposto explicativo é uma expressão que apresenta uma informação a mais a respeito de um nome anteriormente citado.

MARIA, ESTUDANTE DE DIREITO, PASSOU NO CONCURSO.
O aposto explicativo “estudante de direito” refere-se ao nome “Maria”

VAMOS PARA O RIO DE JANEIRO, A CIDADE MARAVILHOSA. 
O aposto explicativo “a cidade maravilhosa” refere-se ao nome “Rio de Janeiro”.


·        Separar um vocativo
O que é um vocativo? Vocativo é termo usado para invocar, chamar, nomear a pessoa a quem se fala.

FILHO, ONDE VOCÊ COLOCOU SEU UNIFORME? 
O vocativo “filho” refere-se à pessoa a quem se fala e deve estar entre vírgulas

ENTENDAM, CRIANÇAS, QUE PARA TUDO TEM HORA. 
O vocativo “crianças” refere-se às pessoas a quem se fala e deve estar entre vírgulas

·         Separar o nome da cidade nas datas
SÃO PAULO, 23 DE SETEMBRO DE 2010.

·         Separar adjuntos adverbiais deslocados para o início ou para o meio da frase
O que é um adjunto adverbial? Adjunto adverbial é qualquer palavra ou expressão que apresenta uma circunstância como tempo, modo, intensidade, lugar, causa, concessão etc.

NESSE SÁBADO, ENCONTRAREMOS NOVAS FORMAS DE DIVERSÃO. 
adjunto adverbial = “nesse sábado” (circunstância de tempo)

ENCONTRAREMOS NOVAS FORMAS DE DIVERSÃO NESSE SÁBADO 
veja que o adjunto adverbial “nesse sábado”, quando se encontra no final da frase, não precisa ser separado por vírgulas

ELES VIAJARAM PARA PORTO ALEGRE E, APESAR DO FRIO, NÃO LEVARAM MUITOS AGASALHOS. 
Adjunto adverbial = “apesar do frio” (circunstância de concessão)

NESSA PEQUENA CIDADE, DURANTE O FIM DE SEMANA, AS RUAS FICAM DESERTAS.
Adjunto adverbial = “nessa pequena cidade” (circunstância de lugar). 
Adjunto adverbial = “durante o fim de semana” (circunstância de tempo). 

Veja que cada adjunto adverbial deve vir separado por vírgulas.


  >>>>> Se o adjunto adverbial for uma única palavra ou uma expressão curta, pode não haver necessidade de usar a vírgula, caso não se queria enfatizar essa palavra.

ONTEM FOMOS À PRAIA.
Adjunto adverbial = “ontem” (circunstância de tempo)

GOSTO MUITO DE VOCÊ.
adjunto adverbial = “muito” (circunstância de intensidade)

·         Separar termos de mesmo valor sintático (uma enumeração, por exemplo)
O que seriam termos de mesmo valor sintático? Quando se diz que dois ou mais termos apresentam o mesmo valor sintático, significa que esses termos desempenham a mesma função na frase: pode ser a função de sujeito, de objeto, de adjunto, entre outras. (Também dizemos que esses elementos estão coordenados entre si).

MINHA MÃE, MEU PAI, MEU IRMÃO E EU MORAMOS NA MESMA CASA. 
Os termos separados por vírgulas apresentam o mesmo valor sintático de sujeito do  verbo morar.

COMPRAMOS GELADEIRA, FOGÃO, SOFÁ E GUARDA-ROUPAS. 
Os termos separados por vírgulas apresentam o mesmo valor sintático de objeto direito do verbo comprar.

ONTEM, ÀS TRÊS HORAS DA TARDE, DURANTE O JOGO, ACONTECEU UM ACIDENTE GRAVÍSSIMO. 
Os termos separados por vírgulas apresentam o mesmo valor sintático de adjunto adverbial.

ELE NÃO ERA BONITO, INTELIGENTE NEM SENSATO. 
Os termos separados por vírgulas apresentam o mesmo valor sintático de predicativo do sujeito.

PODEMOS LEVAR LARANJA, ABACAXI, MAÇA OU MELANCIA.

  
OBSERVAÇÃO: veja que, numa enumeração, quando os dois últimos elementos são ligados pela conjunção E, OU e NEM, a vírgula não deve ser usada.

·         Intercalar qualquer termo de valor explicativo ou corretivo
ELES NÃO QUEREM PERDER AS VANTAGENS, ISTO É, OS LUCROS.

ESSA TAREFA NÃO É FÁCIL, OU SEJA, EXIGE ESFORÇO E DEDICAÇÃO.


OBSERVAÇÃO: outras expressões de valor explicativo ou corretivo >> “quer dizer”, “a saber”, “melhor dizendo”, “por exemplo”, “ou melhor”

·         Separar as orações coordenadas sindéticas e assindéticas (ver casos especiais das orações unidas pela conjunção E)
O que significam as palavras sindética e assindética? Sindética significa que a oração apresenta conjunção, e assindética significa que não há conjunção.

Vejamos, primeiramente, as coordenadas sindéticas, isto é, com a presença de conjunção:

ELE NÃO SÓ CORRIA, MAS TAMBÉM NADAVA TODOS OS DIAS. 

ELE ESTUDOU MUITO, PORÉM SEU DESEMPENHO NAS PROVAS NÃO FOI SUFICIENTE.

FAÇA COMO EU ENSINEI, OU NÃO TERÁ SUCESSO.

“PENSO, LOGO EXISTO.”

NÓS ESTUDAMOS TODA A MATÉRIA EXAUSTIVAMENTE, PORTANTO ESTAMOS PREPARADOS.


Vejamos, agora, as coordenadas assindéticas, isto é, as orações justapostas sem a presença de conjunção:

ELE GRITAVA, GESTICULAVA, CHORAVA COMO UMA CRIANÇA.

OS CHEFES CHEGARAM, A FESTA ACABOU.

O VENTO SOPRAVA FORTE, AS ÁRVORES BALANÇAVAM, MEUS CABELOS ATRAPALHAVAM A VISÃO DESSA TARDE CHOROSA.

·         Isolar orações intercaladas
EU ESPERO QUE, ENQUANTO ESTEJAM NESSA CASA, CUMPRAM MINHAS ORDENS.

EU CHEGUEI, EMBORA NÃO FOSSE PRECISO, ÀS CINCO HORAS DA MANHÃ.

EU QUERIA, SE FOSSE POSSIVEL, CONTRATAR MAIS FUNCIONÁRIOS.

·         Separar as orações subordinadas adjetivas explicativas

O que são orações subordinadas adjetivas explicativas? Uma oração subordinada adjetiva explicativa é aquela que apresenta uma informação acessória relacionada a um termo da oração anterior. Há sempre um pronome relativo no início da oração subordinada adjetiva explicativa.

O CELULAR, QUE É UM APARELHO QUASE INDISPENSÁVEL ATUALMENTE, GANHA CADA VEZ MAIS RECURSOS. 
a vírgula encontra-se antes do pronome relativo “que”.

ELE REENCONTROU MARIA, CUJO LIVRO FOI PUBLICADO ESSE MÊS. 
a vírgula encontra-se antes do pronome relativo “cujo”.

·         Separar as orações subordinadas adverbiais, principalmente quando elas estão antepostas à oração principal.
O que são orações subordinadas adverbiais? Uma oração subordinada adverbial é aquela que apresenta uma circunstância no mesmo sentido de um adjunto adverbial.

QUANDO ELE CHEGOU, A DESORDEM JÁ HAVIA ACONTECIDO.
Oração adverbial “quando ele chegou” (circunstância de tempo).

SE EU TIVESSE DINHEIRO, RESOLVERIAS TODOS ESSES PROBLEMAS.
Oração adverbial “se eu tivesse dinheiro” (circunstância de condição)

MESMO QUE VOCÊ FAÇA O IMPOSSÍVEL, NADA IRÁ MUDAR AGORA.
Oração adverbial “mesmo que você faça o impossível” (circunstância de concessão)

SEGUNDO DIZEM, ELE É CULPADO.
Oração adverbial “segundo dizem” (circunstância de conformidade)

COMO MEU ESFORÇO NÃO FOI SUFICENTE, NÃO PASSEI NO TESTE.
Oração adverbial “como meu esforço não foi suficiente” (circunstância de causa): geralmente a oração adverbial causal só terá vírgula quando vier anteposta à oração principal.

FEITO O TRABALHO, OS FUNCIONÁRIOS FORAM EMBORA.
Oração adverbial “feito o trabalho” (circunstância de tempo): veja que, nesse caso, a oração adverbial é reduzida de particípio.

QUANTO MAIS ESTUDA, MAIS APRENDE.
Oração adverbial “quanto mais estuda” (circunstância de proporcionalidade)

ELE CORREU TANTO, QUE DESMAIOU.
Oração adverbial “quer desmaiou” (circunstância de consequência): veja que, nesse caso, a oração adverbial está após a oração principal e, mesmo assim, é separada por vírgula.

ELAS CONTINUAVAM SORRINDO, EMBORA ESTIVESSEM TRISTES.
oração adverbial “embora estivessem tristes” (circunstância de concessão): veja que, também nesse caso, a oração adverbial está após a oração principal e, mesmo assim, é separada por vírgula.

·         Indicar a supressão de uma palavra (geralmente o verbo)
MEU PAI MORA EM SÃO PAULO; MINHA MÃE, EM SALVADOR.
Veja que há a omissão do verbo morar: minha mãe MORA em salvador.

NUM RESTAURANTE, EU SEMPRE PEÇO SALADA; MEU NAMORADO, PIZZA.

Veja que há a omissão do verbo pedir: meu namorado PEDE pizza.


OBSERVAÇÃO: nesses casos de supressão do verbo, veja o uso do ponto e vírgula.


·         A conjunção E e o uso da vírgula
Geralmente, não se usa vírgula antes da conjunção E quando ela é usada para unir termos de mesma função sintática (numa enumeração, por exemplo) e quando ela é usada para unir orações coordenadas.

MARIA, CLÁUDIA E LUCIANA ESTUDAM NA MESMA SALA.

EU FAÇO PINTURAS E DESENHOS.

OS ALUNOS LERAM O LIVRO E FIZERAM UM RESUMO.

NÓS FOMOS E VOLTAMOS NO MESMO DIA.


É preciso usar a vírgula antes da conjunção E quando:

a). Ela liga orações que apresentam sujeitos diferentes.
AS MENINAS PERGUNTAVAM, E OS MENINOS RESPONDIAM.

O CHEFE SAI, E OS FUNCIONÁRIOS FAZEM A FESTA.

b). Ela vem repetida numa enumeração(polissíndeto).
ESSE SOL MATUTINO ESPALHA ÂNIMO, E FELICIDADE, E LUZ, E BELEZA.

TODOS CANTAVAM, E DANÇAVAM, E SORRIAM, E BEBIAM EXAGERADAMENTE.


OBSERVAÇÃO: esse mesmo caso pode ser aplicado quando se repetem as formas OU e NEM: 

 ELE PODE IR POR ÁGUA, OU POR TERRA, OU PELO AR.
 NEM VOCÊ, NEM EU, NEM ELA, NEM QUALQUER PESSOA DESTE LUGAR PODERÁ SAIR.


·         Sobre os casos das conjunções adversativas (exceto o “mas”) e conclusivas deslocadas
·          
VÁ ONDE QUISER; FIQUE, PORÉM, MORANDO CONOSCO.

v  Veja que a conjunção “porém” está deslocada e entre vírgulas. A ordem direta da oração seria: “Vá onde quiser, porém fique morando conosco”. 

v   Ao ser deslocada para depois do verbo, a conjunção “porém” deve ficar entre vírgulas. 

v   Esse mesmo caso pode ser aplicado às demais conjunções adversativas (“entretanto”, “contudo”, “no entanto”, “todavia”), exceto com a conjunção “mas”.


OS FUNCIONÁRIOS CUMPRIRAM A META; MERECEM, PORTANTO, UMA GRATIFICAÇÃO. 

v  Veja que a conjunção “portanto” está deslocada e entre vírgulas. A ordem direta da oração seria “Os funcionários cumpriram a meta, portanto merecem uma gratificação.”

v   Ao ser deslocada para depois do verbo, a conjunção “portanto” deve ficar entre vírgulas. 

v   Esse mesmo caso pode ser aplicado às demais conjunções conclusivas (“logo”, “por conseguinte”, “pois”). Vale lembrar que a conjunção “pois” só terá valor conclusivo se for usada deslocada para depois do verbo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário