quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Dissertar é




I. Expor um assunto, esclarecendo as verdades que o envolvem, discutindo a problemática que nele reside;

II. Defender princípios, tomando decisões;

III. Analisar objetivamente um assunto através da sequência lógica de ideias;

IV. Apresentar opiniões sobre um determinado assunto, citando fatos, razões, justificativas;

V. Apresentar soluções possíveis, provando suas opiniões.

Sendo a dissertação uma série concatenada de ideias, opiniões ou juízos, ela sempre será uma tomada de posição frente a um determinado assunto - queiramos ou não.

Procurando convencer o leitor de alguma coisa, explicar a ele o nosso ponto de vista a respeito de um assunto, ou simplesmente interpretar um ideia, estaremos sempre explanando as nossa opiniões, retratando os nosso conhecimentos, revelando a nossa intimidade. É por esse motivo que se pode, em menor ou maior grau, mediar a cultura (vivência, leitura, inteligência...) de uma pessoa através da dissertação.

Podemos contar um estória (narração) ou apontar características fundamentais de um ambiente (descrição) sem nos envolvermos diretamente. A dissertação ao contrário, revela quem somos, o que sentimos, o que pensamos.

Nesse ponto, tenha-se o máximo de cuidado com o extremismo. Temos liberdade total de expor nossas opiniões numa dissertação e o examinador salvo raras exceções - sabe respeitá-las. Tudo o que expusermos, todavia, principalmente no campo político e religioso, deve ser acompanhado de argumentações e provas fundamentais.

PARA FAZER UMA BOA DISSERTAÇÃO, EXIGE-SE:

a) Conhecimentos do assunto (adquirido através da leitura, da observação de fatos, do diálogo, etc.);

b) Reflexões sobre o tema, procurando descobrir boas ideias e conclusões acertadas (antes de escrever é necessários pensar);

c) Planejamento:

1. Introdução: consiste na proposição do tema, da ideia principal, apresentada de modo a sugerir o desenvolvimento;

2. Desenvolvimento: consiste no desenvolvimento da matéria, isto é, discutir e avaliar as ideias em torno do assunto permitindo uma conclusão;

3. Conclusão: pode ser feita por uma síntese das ideias discutidas no desenvolvimento. É o resultado final.

d) Registrar ideias fundamentais numa sequência (ESQUEMA)

e) Acrescentar o que faltar, ou suprimir o que for supérfluo, desnecessário (RASCUNHO)

f) Desenvolvimento do plano com clareza e correção, mantendo sempre fidelidade ao tema.



Nenhum comentário:

Postar um comentário