segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Sobre o ato de escrever:. O que o torna tão complicado?

 
 
 
     O ato de escrever é empregado, normalmente, quando a comunicação precisa se fazer por escrito. Seja escrevendo para outra pessoa, para um órgão governamental, para uma empresa ou mesmo para si, há sempre, nesse processo, interlocutores. Os interlocutores são os responsáveis por estabelecer o elo da comunicação escrita. Existem sempre, no mínimo, dois interlocutores: o que redige e o que lê – e, portanto, finaliza o processo daquela comunicação em si. Para quem escrevo? Com que finalidade? Quando escrevo? Qual a minha intenção? São perguntas que devem ser feitas sempre que o processo de produção textual se inicia. Essas perguntas nos auxiliam a projetar melhor nossas estratégias comunicativas, uma vez que o outro não sabe o que se passa em nossa cabeça. Escrevemos então, para expor nossas opiniões e ideias.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

O que é um Relato de experiência pessoal pedido em alguns vestibulares?


 Como gênero textual, o relato pessoal se constitui de marcas discursivas específicas. Veja:

O relato pessoal é feito em 1a pessoa, de forma subjetiva, detalhada, geralmente com linguagem coloquial. O assunto é abordado de forma a destacar a participação ou o ponto de vista do enunciador sobre o que é relatado, ou seja, sobre fato ocorrido no passado. Por isso mesmo que o tempo verbal é o pretérito perfeito.
 
Leia um exemplo de relato pessoal:
Trata-se de um relato real que é parte integrante do livro "Mar sem Fim" no qual o navegador relata suas viagens cheias de desafios.
Leia um trecho desse relato e viva um pouco das emoções dessa aventura.

 

Tudo o que você precisa saber sobre DISSERTAÇÃO ARGUMENTATIVA.

produção de conteúdo
I - INTRODUÇÃO

     É o primeiro parágrafo e serve de apresentação da dissertação, por essa razão deve estar muito bem elaborada, ser breve e apresentar apenas informações sucintas. Deve apenas apresentar o TEMA e dois ENFOQUES e ter em torno de cinco linhas.

 

II – DESENVOLVIMENTO

     É a redação propriamente dita. Deve ser constituído de dois parágrafos, um para cada enfoque apresentado na Introdução. É a parte da redação em que argumentos são apresentados para explicitar, em um parágrafo distinto, cada um dos enfoques. Esses parágrafos devem ter em torno de dez linhas. Pode-se desenvolver os argumentos por meio de relações que devem ser usadas para deixar seu texto coeso e coerente. Essas relações são estabelecidas através de CONECTORES e ser de:

 

Prioridade, relevância:

em primeiro lugar, antes de mais nada, antes de tudo, em princípio, primeiramente, acima de tudo, principalmente, primordialmente, sobretudo...


Tempo (frequência, duração, ordem, sucessão, anterioridade, posterioridade):

então, enfim, logo, logo depois, imediatamente, logo após, a princípio, no momento em que, pouco antes, pouco depois, anteriormente, posteriormente, em seguida, afinal, por fim, finalmente, agora, atualmente, hoje, freqüentemente, constantemente às vezes, eventualmente, por vezes, ocasionalmente, sempre, raramente, não raro, ao mesmo tempo, simultaneamente, nesse ínterim, enquanto, quando, antes que, depois que, logo que, sempre que, assim que, desde que, todas as vezes que, cada vez que, apenas, já, mal...


Semelhança, comparação, conformidade:

igualmente, da mesma forma, assim também, do mesmo modo, semelhantemente, analogamente, por analogia, de maneira idêntica, de conformidade com, de acordo com, segundo, conforme, sob o mesmo ponto de vista, tal qual, tanto quanto, como, assim como, como se, bem como.


Condição, hipótese:

se, caso, eventualmente.

 

Adição, continuação:

além disso, demais, ademais, outrossim, ainda mais, por outro lado, também, e, nem, não só ... mas também, não só... como também, não apenas ... como também, não só ... bem como, com, ou (quando não for excludente).


Dúvida:
talvez, provavelmente, possivelmente, quiçá, quem sabe, é provável, não é certo, se é que.

 

Certeza, ênfase:

certamente, decerto, por certo, inquestionavelmente, sem dúvida, inegavelmente, com toda a certeza.


Surpresa, imprevisto:

inesperadamente, de súbito, subitamente, de repente, imprevistamente, surpreendentemente.

Ilustração, esclarecimento:

por exemplo, só para ilustrar, só para exemplificar, isto é, quer dizer, em outras palavras, ou por outra, a saber, ou seja, aliás.


Propósito, intenção, finalidade:

com o fim de, a fim de, com o propósito de, com a finalidade de, com o intuito de, para que, a fim de que, para.


Lugar, proximidade, distância:

perto de, próximo a, próximo de, junto a, junto de, dentro, fora, mais adiante, aqui, além, acolá, lá, ali, este, esta, isto, esse, essa, isso, aquele, aquela, aquilo, ante, a.


Resumo, recapitulação, conclusão:

em suma, em síntese, em conclusão, enfim, em resumo, portanto, assim, dessa forma, dessa maneira, desse modo, logo, dessa forma, dessa maneira, assim sendo.


Explicação:
por consequência, por conseguinte, como resultado, por isso, por causa de, em virtude de, assim, de fato, com efeito, tão (tanto, tamanho)... que, porque, porquanto, pois, já que, uma vez que, visto que, como (= porque), portanto, logo, que (= porque), de tal sorte que, de tal forma que, haja vista.

Contraste, oposição, restrição:

pelo contrário, em contraste com, salvo, exceto, menos, mas, contudo, todavia, entretanto, no entanto, embora, apesar de, apesar de que, ainda que, mesmo que, posto que, conquanto, se bem que, por mais que, por menos que, só que, ao passo que, por outro lado, em contrapartida, ao contrário do que se pensa, em compensação.

 

Existem outras expressões que podem ser utilizadas nos parágrafos de desenvolvimento para dar mais fluidez nas ideias: 


Confronto

É possível que... no entanto... , É certo que... entretanto... , É provável que ... porém...

Divisão de ideias
Em primeiro lugar ...; em segundo ...; por último ...; por um lado ...; por outro ...; primeiramente, ...; em seguida, ...; finalmente, ...

Enumeração
É preciso considerar que ...; Também não devemos esquecer que ...; Não podemos deixar de lembrar que...


Reafirmação
Compreende-se então que ...; É bom acrescentar ainda que ... ; É interessante reiterar ...

Exemplificação
A fim de comprovar o que foi dito, ...; Para exemplificar, ... ; Exemplo disso é ...

Mais expressões que podem ser utilizadas em seu texto:

Para tanto, ...; Para isso, ...; Além disso, ...; Se é assim, ...; Na verdade, ...; É fundamental que ...; Tudo isso é ...; Nesse momento, ...; De toda forma, ...; De tal forma que ...; Em ambos os casos,..."


III- CONCLUSÃO

      É o último parágrafo. Deve ser breve, contendo em torno de cinco linhas. Na conclusão, deve-se retomar o Tema e fazer o fechamento das ideias apresentadas em todo o texto e não somente em relação às ideias contidas no último parágrafo do desenvolvimento. Não se deve acrescentar informações novas na conclusão, pois, se há informações a serem incluídas, o desenvolvimento ainda não terminou. Dever-se concluir:

         Fazendo uma síntese das ideias expostas;

         Esclarecendo um posicionamento e/ou questionamento, desde que coerente, com o desenvolvimento;

         Extraindo uma dedução ou demonstrando uma consequência dos argumentos expostos;

         Levantando uma hipótese ou uma sugestão coerente com as afirmações feitas durante o texto.

         Apresentando possíveis soluções para os problemas expostos no desenvolvimento, buscando prováveis resultados.

 

Pode-se iniciar o parágrafo da Conclusão com expressões do tipo:

Assim,...;  Assim sendo...; Portanto,...; Mediante os fatos expostos,...; Dessa forma, ...; Diante do que foi dito ...; Resumindo, ...; Em suma, ...; Em vista disso, pode-se concluir que ...; Finalmente,...; Nesse sentido,...; Com esses dados, conclui-se que ...


 
 

OUTRAS DICAS IMPORTANTES:


1. Numa redação dissertativo-argumentativa, Nunca se inclua na dissertação. Não use primeira pessoa. O texto deve ser todo impessoal. Não use a 1ª pessoa do singular. Use os verbos na 3ª pessoa do singular (Compreende-se ..., percebe-se ...);

 

2.  Ao escrevermos um texto, utilizamo-nos de vários elementos de referenciação como: sinônimos, pronomes pessoais, possessivos, demonstrativos, relativos, indefinidos, apostos;


3. Não se esqueça o de que o texto dissertativo é um texto temático, ou seja, constrói-se a partir da declaração ou da confirmação de ideias sobre um dado ou um fato da realidade. Em outras palavras, é a defesa de uma tese (idéia) que se tem sobre algum tema (assunto) .

 

4. Em face da limitação de espaço, é muito difícil apresentar mais de dois argumentos (enfoques) relativos ao tema, por essa razão, a Dissertação deve conter 4 parágrafos, sendo UM para Introdução, DOIS para Desenvolvimento e UM para Conclusão;

 

5. Cada parágrafo deve possuir, no mínimo, dois períodos; Cuidado com as frases fragmentadas, frases siamesas, ambiguidades e os erros de paralelismo;

 

6. Planejamento é o segredo: delimite o tema, defina o objetivo, selecione as idéias que formarão os enfoques, ordene-os. Coloque no papel a primeira versão de um rascunho.


7. Elabore uma Introdução que contenha, de maneira clara e direta o Tema, o Primeiro Enfoque, o Segundo Enfoque;

 

8. JAMAIS use etc. nem reticências.

 

9. Nunca use frases feitaschavões...

 

10. Não repita palavras ou expressões. Use sinônimos.

 

11. Só use exemplos que sejam de domínio público, portanto apenas aqueles que tenham saído na mídia: jornais, revistas, tevê...

 

12. Jamais converse com o leitor: nunca use você ou tu...

 

13. Use sempre linguagem formal (padrão), nível culto.

 

14. Muito cuidado com a Língua Portuguesa: acentuação, ortografia, regência, crase, pontuação, concordância...

 

15. Obedeça rigorosamente aos limites de linhas – nunca menos, nunca mais.

 

16. Ao separar as sílabas, não deixe apenas uma vogal, iniciando ou terminando, uma linha. Também não termine a sílaba, mesmo que correta, deixando, em cima ou embaixo, um cacófato (som ou palavra desagradável, que se forma de encontro ao som da palavra vizinha).


17. Capriche nos aspectos formais. Apresentação, limpeza, margens, letra. Não invente letras. Coloque pingo sobre os is e os jotas. Não rasure; Prefira palavras curtas e simples. Vocábulos longos e pomposos criam barreiras entre autor e leitor.

 

18. Coloque título; Mesmo não sendo exigido, coloque. Se houver uma linha específica para título, é obrigatória a sua presença, senão houver uma linha para título, coloque-o na primeira linha e aumente o número mínimo em mais uma e não deixa linha em branco.

 

19. Mantenha o caráter dissertativo. No desenvolvimento, dê um parágrafo para cada Enfoque selecionado; Empregue os articuladores adequados.

 

20. Jamais use gírias. Nunca use provérbios, ditos populares;

 

21. Não utilize a redação para propagar doutrinas ou assuntos polêmicos;

 

22. Nunca analise temas movido por emoções exageradas – especialmente política, futebol, religião...

 

23. Não use abreviaturas de qualquer natureza;

 

24. Fundamente sempre suas ideias. Cuide para não repetir ideias ou palavras.

 

25. Controle o tempo. Mas não deixe de revisar sua redação. Introdução com tema e enfoques claramente expostos; Veja se os parágrafos contêm tópico frasal e desenvolvimento bem relacionados e com coerência. Analise se cada parágrafo contém mais de um período. Revise a gramática: acentos, pontuação, regência, crase, concordância, colocação pronominal...

 

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

A força do argumento:

 
Analise o anúncio publicitário a seguir:
 


 
Agora responda:
 
1- Quais os recursos argumentativos presentes na propaganda?
 2-Observe no texto os elementos verbais e não-verbais.
 3-Sobre que ponto de vista o autor pretende convencer? Qual é a associação feita no apelo ?
 4-Qual é a importância da argumentação para persuadir alguém?
 
Sobre a "Arte de argumentar":
 
·         Argumentar: é estabelecer mecanismos argumentativos capazes de realizar eficientemente os efeitos de sentido pretendidos; 
  •    A argumentação tem como objetivo convencer; 
  •  Saber argumentar é, em primeiro lugar, saber integrar-se ao universo do outro. É também obter aquilo que queremos, mas de modo cooperativo e construtivo, traduzindo nossa verdade dentro da verdade do outro.
 
Nas campanhas publicitárias é comum a presença dos recursos argumentativos: figuras de linguagem, de pensamento e de sintaxe, instâncias gramaticais, escolha lexical, expressões de valor fixo, ironia, citações, argumentos de autoridade, criação de inimigos e alusão. São elementos práticos na construção do enunciado e funcionam como mecanismos comuns às modalidades do convencimento e da persuasão.
 
No entanto, não são suficientes para garantir a unidade argumentativa e obtenção do resultado esperado. Para obtê-la, todo texto deve exprimir o ponto de vista e o discurso. Ambos apresentam-se de forma intrínseca no texto.
  
 
Espero que tenha gostado! Se quiser, deixe aqui suas respostas e possíveis dúvidas. Logo elas serão comentadas.

 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Questões interessantes:


1- Esta questão apresenta cinco propostas diferentes de redação. Assinale a alternativa que corresponde à melhor redação, considerando correção e clareza.


a) Tirando as gargantas, esperanças e paixões, o povo no último carnaval não gastou nada que não custam dinheiro.

b) O povo, com exceção das gargantas, esperanças e paixões, não gastou nada no último carnaval, mesmo porque não custa dinheiro.

c) Menos as gargantas, esperanças e paixões, o que não custam dinheiro, no último carnaval o povo não gastou nada.

d) No último carnaval, o povo não gastou nada, exceto gargantas, esperanças e paixões, que não custam dinheiro.

e) Já que não custam dinheiro, no último carnaval exceto gargantas, esperanças e paixões, o povo não gastou nada.

Resposta:[D]
 
2- Esta questão apresenta cinco propostas diferentes de redação. Assinale a alternativa que corresponde à melhor redação, considerando correção e clareza.


a) Estavam descomprometidos com a solução do problema mas, mesmo assim, foi emprestados apoio e solidariedade de alguns amigos empenhados aos participantes do movimento.

b) Ainda que descomprometidos com a solução do problema, alguns amigos empenharam-se em emprestar apoio e solidariedade aos participantes do movimento.

c) Alguns amigos, a despeito de estar descomprometido com a solução do problema, aos participantes do movimento emprestou-se apoio e solidariedade.

d) O empenho de alguns amigos, embora descomprometidos com a solução do problema, emprestaram apoio e solidariedade aos participantes do movimento.
e) Empenhou-se alguns amigos em emprestar, mesmo que descomprometidos com a solução do problema, apoio e solidariedade aos participantes do movimento.
Resposta:[B]


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Temas atuais: leia, pesquise, pense e escreva!


 
TEMA l:

Disserte sobre o papel da internet e das redes sociais nos movimentos atuais - Movimento Passe Livre, que culminou em centenas de manifestações pelo Brasil afora.

TEMA ll:

Preços das tarifas do transporte público, saúde e educação. Estes e outros assuntos foram temas que circularam durante as recentes manifestações que estão ocorrendo em todo o Brasil. Passados alguns dias das manifestações, fica a seguinte questão: OS PROTESTOS MUDARÃO O BRASIL? Disserte sobre o assunto, expondo seu ponto de vista com argumentos plausíveis e consistentes.

TEMA lll:

 As redes sociais se tornaram um lugar privilegiado para a divulgação de dados pessoais, detalhes sobre a rotina das famílias e de informações nada interessantes ou extremamente desnecessárias. Tudo está exposto para o mundo ver. Empresas usam tais informações e planejam suas estratégias de marketing; praticantes de atos ilícitos se deliciam com a facilidade de acesso às informações. Tudo é aproveitado para determinados fins.

Considerando o texto acima como meramente motivador, disserte sobre o seguinte tema:

A internet é uma ameaça à liberdade das pessoas?

TEMA lV:

 Só podemos falar em Democracia quando há, de fato, participação popular. Disserte sobre este tema, expondo seu ponto de vista.

TEMA V:

Uma das marcantes diferenças entre a Passeata dos 100 mil, ocorrida durante a ditadura militar, e os movimentos que aconteceram recentemente pelo Brasil afora está na presença da violência nestes últimos. Em sua opinião, como conciliar reivindicações populares e manutenção da organização e da ordem?