Item

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Gênero Textual: Carta Argumentativa




Carta Argumentativa : Principais características


  •       Um cabeçalho (na primeira linha da carta, na margem do parágrafo, aparecem o nome da cidade e a data na qual se escreve)   Ex: Uberlândia, 13 de setembro de 2012.
  •  Expressão que introduz a assinatura: terminada a carta, é de praxe produzir, na linha de baixo (margem do parágrafo), uma expressão que precede a assinatura do autor. Ex: Atenciosamente;  Sem mais, despeço-me.
  •  Assinatura: um texto pessoal, como é a carta, deve ser assinado pelo autor. Nos vestibulares, porém, costuma-se solicitar ao aluno que não escreva o próprio nome por extenso. Para tanto, nas instruções, geralmente, eles sugerem para todos os vestibulandos um mesmo nome.
  • A proposta da carta argumentativa ocorre sempre que houver a necessidade de reivindicar, denunciar, reclamar, sugerir, aconselhar, etc.
  •   Ela circula, geralmente, num âmbito particular, pois, pressupõe um interlocutor específico para quem a argumentação deverá estar orientada.
  •  A escolha desse vocativo dependerá muito do leitor e da relação social com ele estabelecida. É necessário que esse interlocutor seja evocado no decorrer do texto

Senhor / Vossa Senhoria / Vossa Excelência – presidente, deputados, senadores, oficiais de patente superior à de coronel, ministros de estado, governadores, secretários de estado / Vossa Majestade – reis e imperadores / Vossa Alteza- príncipes e duques / Vossa Santidade – o papa


Sendo que, o essencial é mostrar respeito pelo interlocutor, seja ele quem for. Na falta de um pronome ou expressão específica para dirigir-se a ele, recorra ao tradicional "senhor“, "senhora" ou Vossa Senhoria.


·              Carta Argumentativa : Propósito

 
  •   Defender um ponto de vista sobre determinado assunto, por meio de argumentos convincentes a fim de persuadir o interlocutor, ou demovê-lo do ponto de vista por ele defendido e que o autor da carta considera equivocado.

  •   É importante a apresentação de dados, fatos, exemplos, etc., que possam auxiliar o processo de convencimento do leitor e atestar a veracidade e coerência das opiniões expostas.

·         Carta Argumentativa Formato constituído por :

  •    Local e data: constam no início da carta, à esquerda, e especificam cidade, dia, mês e ano da emissão da carta (Monte Carmelo, 18 de outubro de 2012).
  • Vocativo: apresenta o tratamento adequado ao receptor (Prezado Senhor, Magnífico Reitor, Ilustríssimo Diretor).
  •  Corpo do texto (assunto):é um parágrafo inicial coloca o assunto e a finalidade da carta, de modo objetivo e direto. Após, em novo(s) parágrafo(s), segue a explicitação do que foi exposto. Nesta parte o emissor vale-se de argumentos consistentes para convencer o receptor.
  •    Despedida: sempre cordial. Em uma carta de solicitação, ela é afetuoso para manter uma interlocução mais afetiva com o receptor(na certeza de sermos atendidos, agradecemos;contando com seu pronto atendimento; esperando contar com sua compreensão; no aguardo de sua resposta, desde já agradeço etc.)
  •   Assinatura: consta o nome completo do emissor, seguido de sua identificação profissional.


·         Carta Argumentativa Mecanismos linguísticos:

  •    linguagem do consenso, em geral, impessoal, clara e objetiva, mas pode variar muito dependendo da situação e dos interactantes;
  •   predomínio da 1ª ou da 3ª pessoa, embora seja comum a mistura;
  • formas verbais, geralmente, no presente do indicativo, e às vezes, no imperativo.
  • Carta argumentativa com máscara: O redator escreve como se fosse outra pessoa, veste uma máscara


Modelo:
CARTA-ARGUMENTATIVA
 
GRAVIDEZ PRECOCE

Gravilândia, GV, 25 de dezembro de 2010.

Querida filha,

Tenho-a criado da melhor maneira que um pai poderia fazer, considerando as condições por que sempre passamos no decorrer de nossas vidas. Apesar das dificuldades, nunca deixei de lhe dar o melhor de mim, procurei educá-la pensando em garantir um futuro digno para você e futuros descendentes. Entretanto, algumas de suas atitudes têm me incomodado um pouco ultimamente.
Sem querer bancar um pai “careta”, tenho me preocupado muito sobre a maneira como tem encarado as coisas em sua volta. Depois que conheceu aquele seu namorado, você virou a cabeça, jogou tudo para o alto e passou a cometer algumas imprudências: a maior delas, a falta de cuidados na prevenção de doenças ou de uma possível gravidez indesejada. Isso me deixa perplexo, principalmente pelas informações que você teve oportunidade de adquirir esses anos, o que naturalmente exigiria uma atitude totalmente diferente.
Lembre-se, não sou contra a sua maternidade. Aliás, considero o maior privilégio que uma mulher pode ter. Apenas não quero, caso isso venha a se concretizar prematuramente, vê-la desesperada pelos cantos, sem saber como agir pelo fato de não tê-la planejado. Vivemos num mundo recheado de mecanismos que ajudam a prevenir a gravidez, temos camisinha como o método mais conhecido, além de outros que você certamente os conhece. Por isso, peço-lhe que reflita um pouco sobre suas atitudes, você ainda nem concluiu o Ensino Médio, lembra? E o vestibular, o seu sonho de ser jornalista, de brigar pelos direitos dos mais fracos, como sempre dizia almejar quando era criança? Deixou-os de lado? Creio que não.
Filha, às vezes os sonhos podem ser interrompidos por falta de consciência. E é isso que lhe peço como alguém que a ama desde os seus primeiros passos, desde a época em que ainda segurava em sua mão para que andasse sem riscos de cair. Tome mais cuidado, previna-se; não jogue fora os seus anseios, as suas vontades, o seu futuro. Una o útil ao agradável. Divirta-se, sim, mas com prudência. E quanto ao resto, pode contar comigo e com a sua mãe, você sabe que estamos sempre prontos para dizer uma palavra de conforto, de apoio, de amor. Aquele amor insubstituível, que sentimos em nossos corações por essa linda menina que, num piscar de olhos, já virou mulher.

De seu pai que a ama profundamente,

Metódio Contraceptus

 

 

Um comentário:

  1. Não se usa mais parágrafo nas cartas-argumentativas? Fiquei na dúvida.

    ResponderExcluir