quinta-feira, 28 de junho de 2012

Proposta de redação - Texto dissertativo - O processo discriminatório por que passam os idosos.


                                                          
Leia com atenção os trechos a seguir:


TRECHO 01


        O Brasil deixa, aos poucos, de ser um país de jovens. Pode-se afirmar que os velhos constituem, mais do que uma simples faixa etária, uma verdadeira “categoria social” da população, profundamente estigmatizada, por oposição à categoria dos “jovens”. Tudo contribui para que se destrua no idoso a expectativa de inclusão social, no sentido de que a sociedade reserve par ele, dentro de parâmetros reais, um papel adequado, única forma para que esta deixe de exigir-lhe um comportamento decalcado nos mais jovens, inclusive na linguagem.

(PRETI, Dino. A LINGUAGEM DOS IDOSOS. São Paulo : Contexto, 1991. P. 22-23. [TEXTO ADAPTADO])



TRECHO 02


        Eles estão por aí, vagando pelas grandes cidades, catando a sobrevivência nas portas de restaurantes ou nas latas de lixo. Dormem sobre o papelão. Esmolam nas portas das igrejas. De tão presentes no cotidiano, nem são mais notados. São os velhos de rua, jogados ao relento por famílias que os rejeitam ou pela ausência delas, pelo mercado de trabalho, onde não têm mais vez, pela degradação da idade e da solidão, que traz doenças como a demência e o alcoolismo. São brasileiros quase invisíveis: nunca se procedeu a uma contagem oficial e específica de quantos sejam.

(JORNAL DO BRASIL. RIO DE JANEIRO, 4 JUN. 2000. P. 4. [TEXTO ADAPTADO])



TRECHO 03


        Deitada na calçada, Dona Belarmina, 71 anos, parece até serena, quase adormecida embaixo do cobertor quadriculado, a cabeça apoiada em pedaços dobrados de papelão, que lhe servem também de colchão. Ainda é cedo, oito da noite, e o movimento de carros e pessoas é intenso. Ninguém presta atenção.
        “Já perdi tudo, até a vergonha”, diz, a voz quase inaudível. Perdeu a família, que lhe virou as costas quando se tornou um peso difícil de sustentar. Perdeu as condições de trabalhar – “Eu era uma mulher trabalhadeira.” Perdeu o interesse pela vida. Não sabe quem é o presidente da República, nem o governador, nem o prefeito. “E eles sabem que eu existo? Ninguém sabe nem que estou viva!”

(JORNAL DO BRASIL. RIO DE JANEIRO, 4 JUN. 2000. P. 4. [TEXTO ADAPTADO])




REDIJA um texto dissertativo sobre o processo discriminatório por que passam os idosos.

Para tanto, relacione as idéias dos TRECHOS 1 e 2 e o depoimento do TRECHO 3, utilizando-os como material de reflexão para seu próprio texto, sem, contudo, transcrever fragmentos dos trechos lidos.